refino

Os sistemas do Permasense entregam dados que permitem operações mais seguras e mais rentáveis.

O sistema tem ampla gama de aplicações em refinarias de petróleo. Os instalações são tipicamente:

  • nas áreas conhecidas, tais como canalizações que operam fora da especificação do projeto - por exemplo, em conexão com mudanças de alimentação, nos cotovelos (elbow joints), e áreas de turbulência específica, 
  • áreas que não podem ser inspecionadas com frequência, por razões de custos de acesso, tais como linhas aéreas de óleo cru, ou de perigo para o pessoal de inspeção devido as temperaturas elevadas.

Os sensores são instalados em toda a refinaria, incluindo: unidades da óleo cru (CDU), unidades de vácuo (VDU); unidades amina, unidades de alquilação, cokers, unidades de craqueamento (FCC, hidrocrackers); Hidrotratadores, strippers água ácida - incluindo nas paredes de colunas de destilação, torres de stripper, entradas, saídas, e linhas de transferência (incluindo redutores e cotovelos); refrigeradores de ar - caixas de cabeçalho, entradas e saídas, carcaças de trocadores de calor entradas e saídas; bombas, entradas e saídas; e fornos, entradas e saídas, U-curvas, linhas de transferência, e paredes das torres. 

Sensores estão agora em serviço sobre uma ampla gama de materiais, incluindo carbono e aço carbono fundido, P5/5 cromo, P9/9 cromo, 1% Cr (5130), duplex, P265GH (430-161), 1.4571 (316Ti), P295GH (17Mn4), monel, HR120, Inconel, Hastelloy e Incoloy.

 

Forças propulsoras para adoção incluem: 

• monitoramento de corrosão mais rigoroso e freqüente em áreas críticas da planta
• diversificação da matéria-prima, especialmente para o tratamento de crudes com alta acidez
• A precisão, freqüência e eficiência das medições
• Monitoramento da eficácia do inibidor
• Segurança para os inspetores
• A detecção precoce de alterações nas taxas de corrosão
• Informar decisões sobre o tempo do paragem programada
• Ajudar com as decisões sobre atualizações metalúrgicas

 

Estudo de caso - Experiência Gelsenkirchen

Monitoramento de corrosão foi realizado em u-curvas de aço carbono fundido com uma espessura de parede de aprox. 25 mm (1 pol.), operando a 380°C (720°F) na refinaria de Gelsenkirchen operado pela BP para garantir a operação contínua em condições de segurança. Como a temperatura elevada impediu medição manual e teria exposto inspetores ao perigo significativo, o sistema de monitoramento contínuo da Permasense foi instalado. Isso permitiu operação sem parar até o turnaround agendada. O sistema já tinha fornecido dados de medição confiáveis por mais do que quatro anos.

 

 

 

Estudo de caso - Diversificação da matéria-prima, especialmente tratamento de óleo cru de alto acidez 

"O mundo está com pouco óleo cru leve e de alta qualidade. Como resultado, as refinarias estão cada vez mais olhando para óleos mais pesados, que exigem novas abordagens de tratamento" (Presidente Robert Trout citado em Hydrocarbon Publishing Weekly Refining Digest)

Os sistemas de monitoramento da Permasense estão formando um elemento essencial da capacidade das refinarias para processar estes óleos mais pesados.

Um cliente Europeu processou um lote de teste de um novo óleo cru para um período de um mês, tornando-se aproximadamente 20% do total de matéria-prima para a torre. Os dados do sensor do duto de gasoil rapidamente demonstrou uma taxa de corrosão acelerada durante o período de teste, com a consequente perda de mais de 4% da espessura da parede em um mês, o equivalente a 6,8 mm/ano. O monitoramento da atividade alta de corrosão, destacados de dados dos sensores do Permasense, está ajudando o cliente a criar uma estratégia de inibição ótima e para definir as limitações de processamento do óleo cru que permite a maximização da rentabilidade, garantindo ao mesmo tempo que o equipamento execute com segurança até a próxima manutenção ou turnaround agendada.

 

 

Estudo de Caso - Monitoramento de corrosão mais rigoroso e frequente em áreas críticas da planta 

Sensores também foram instalados dentro de strippers de água ácida em locais de alto risco de corrosão. Num exemplo, as taxas de corrosão apresentadas pelos sensores foram executando continuamente a 2 mm / ano (14% da espessura de parede inicial por ano). Os operadores tinham a capacidade de baixar a taxa de corrosão completamente e manter sob controle, utilizando os sensores do Permasense, como mostrado pelos dados do sensor abaixo.

 

Estudo de Caso - Monitoramento da eficiência do inibidor da corrosão

Outras refinarias estão usando dados de taxa de corrosão dos sensores Permasense para otimizar as taxas de injeção do inibidor de corrosão. No exemplo abaixo, os operadores ajustadaram as dosagens do inibidor ao longo do período de agosto a setembro, até a taxa de corrosão mostrada no sensor ter se estabilizado. Medição da espessura da parede de ultrassom contínuo está sendo usada em tempo real para compreender as oportunidades comerciais disponíveis a partir de monitoramento mais apertado e mais confiável das taxas de corrosão e erosão em partes críticas da instalação, e quando combinado com a transmissão sem fio pode trazer um valor significativo, bem como custo, segurança e os benefícios ambientais para os operadores. Existem hoje mais de 4.500 sensores instalados em ambas instalações de óleo e gás de upstream, midstream e  downstream, e em usinas de energia ao redor do mundo.

 

Estudo de Caso - Melhoria da visão sobre o impacto das decisões de matéria-prima

Processamento de crus de oportunidade com ácido alto é uma estratégia fundamental para melhoria do lucro para muitas refinarias no Hemisfério Ocidental. Enquanto corrosão por ácido naftênico tende a ser bastante localizada, Permasense está vendo refinarias implantarem redes de sensores, fazendo uma série de medições de ponto para destacar onde está sendo observado um aumento significativo na atividade de corrosão. Esta abordagem também permite a compreensão da eficácia das injeções químicas de inibidor nos locais "em risco".

 

Um exemplo de tais matrizes de sensores é mostrado acima - os sensores estão instalados de modo circunferencial em cinco locais diferentes ao longo de uma linha de transferência de aquecedor em bruto ou de vácuo. Os dados do sistema Permasense podem dar a confiança para o refinador para aumentar gradualmente a acidez do cru enquanto monitoram de perto as áreas "de risco conhecido" avaliando todo e qualquer aumento na atividade de corrosão.


Estudo de Caso  - Informar as decisões de atualizaçao metalúrgica

Uma outra refinaria tinha sido instalado os sensores do Permasense 18 meses antes de um grande turnaround para que pudesse acompanhar a corrosão ao longo de um período de um ano, através da torre cru e da tubagem associada. O objetivo foi de compreender melhor o mecanismo de corrosão dominante - quer por uma corrosão uniforme e fina sulfídica ou ataque localizado a partir de ácidos naftênicos. A saída seria informar os seus processos de tomar decisões sobre a planta para determinar a metalurgia preferida para ser usada para atualizar o equipamento. Os dados dos sensores demonstraram que a corrosão localizada do ataque de ácido naftênico foi o mecanismo dominante e como resultado a refinaria selecionou a metalurgia adequada para ser instalada no desligamento planejado.